Saiba quais são as DSTs que podem provocar o câncer

15/07/2018

Saiba quais são as DSTs que podem provocar o câncer

Você sabe quais são as DSTs que podem provocar o câncer? Sabemos que as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) são aquelas transmitidas por meio do ato sexual, como:

  • Clamídia;
  • Gonorreia;
  • Condiloma acuminado (HPV);
  • Doença Inflamatória Pélvica (DIP);
  • Donovanose;
  • Herpes;
  • Infecção pelo Vírus T-linfotrópico humano (HTLV);
  • Linfogranuloma venéreo;
  • Sífilis, Tricomoníase e Cancro mole.

No entanto, embora possuam tratamento que respondem bem ao quadro, em alguns casos, certas DSTs podem trazer consequências mais graves, como o desenvolvimento do câncer.

Quais são as DSTs que podem desencadear o câncer?

Dentre as DSTs, algumas podem se agravar e evoluir para um câncer. Vejamos quais são elas e de que maneira podemos estar mais atentos:

Vírus linfotrópico da célula T humana (HTLV)

De todas as DSTs, a que está de forma mais direta relacionada ao câncer é o Vírus linfotrópico da célula T humana (HTLV). Essa doença infecta as células de defesa do organismo (linfócitos T), sendo caracterizada como o primeiro retrovírus humano isolado, podendo ser classificada em dois grupos HTLV-I e HTLV-II. Essa é uma doença que, na maioria das vezes, não desenvolve sintomas.

Um pequeno grupo de infectados pela doença pode desenvolver alguns tipos de câncer. Além disso, o HTLV também pode causar problemas como:

  • polimiosite;
  • pneumonite linfocítica;
  • artropatias;
  • diversas dermatites;
  • uveíte.

 

Também, é possível desencadear a síndrome de Sjögren, uma doença autoimune que destrói as glândulas salivares e lacrimais.

Por isso, ao ser diagnosticado com a doença, é fundamental recorrer imediatamente à ajuda médica, que irá analisar o melhor tratamento para cada caso, tratando os problemas desencadeados pela doença.

HPV

O condiloma acuminado, também é chamado por crista de galo, verruga genital, figueira ou cavalo de crista, é uma DST que pode causar câncer de colo uterino e orofaringe (garganta). É causada por um tipo de Papilomavírus humano (HPV).

É importante orientar que a infecção pelo HPV é bastante comum e pode ser tratada facilmente, nem sempre resultando em câncer. Assim, é possível fazer a prevenção por meio do exame de rotina Papanicolau, que detecta alterações precoces no colo do útero. Embora haja diversos tipos de HPV, a forma de contágio e prevenção é a mesma para todos, por isso, é fundamental estar atento.

Ultimamente, foram desenvolvidas duas vacinas contra os tipos de HPV relacionados ao câncer de colo de útero. A vacina é destinada aos tipos 16 e 18, responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo de útero.

Tricomoníase

Segundo um estudo publicado na revista científica “Proceedings of the National Academy of Sciences”, certificou-se que o parasita Trichomonas vaginalis, atuante da Tricomoníase, secreta uma proteína estimulante a inflamação e proliferação de células da próstata. Dessa forma, concluiu-se que esse poderia ser um fator de contribuição para o desenvolvimento do câncer de próstata.

É importante estar atento aos exames preventivos, já que o parasita, na maioria dos casos, não provoca sintomas nos homens infectados, o que retarda a procura por ajuda médica. Quando há sintomas, estes são:

 

  • ardência após urinar ou ejacular;
  • coceira ou irritação e secreção de aspecto branco do pênis.

Esteja atento

Lembre-se de que, em todos os casos, é necessário utilizar proteção. É muito importante estar atento à saúde para prevenir que situações possam se agravar e desencadear o câncer. No entanto, caso isso aconteça, também é fundamental saber que existem formas especializadas para tratar a doença e ter uma vida saudável novamente.