Cirurgia Oncológica

Por: - CRM/SC 10.957 – RQE 7.557, 7.558 e 7.559
Publicado em 07/04/2019

Cirurgia Oncológica

A cirurgia oncológica  é uma especialidade que tem por funcionalidade tratar o câncer com bastante eficácia. Consiste em uma série de aplicabilidades de procedimentos cirúrgicos que tratam a doença de forma efetiva, abrangendo inúmeros mecanismos de atuação em seus processos.

Que tal conhecer um pouco mais sobre as cirurgias oncológicas e entender quando são indicadas?

Esteja por dentro deste assunto no momento da consulta com o médico oncologista. Assim, será possível otimizar ainda mais a busca por informações precisas sobre o tratamento oncológico e suas maneiras de atuação.

Cirurgia oncológica: em quais casos a cirurgia é indicada?

A cirurgia oncológica aborda diversas aplicabilidades de combate ao câncer. Vejamos de que maneira isso pode ser feito.

Curar o câncer

Quando o câncer está localizado em apenas uma parte do corpo, é bem possível que a cirurgia curativa possa retirar completamente o tumor. Além disso, pode ser combinada com outros tratamentos, realizados antes e/ou depois da cirurgia oncológica.

Alívio de sintomas

A cirurgia paliativa é indicada para aliviar sintomas que causam incapacidade ou desconforto, além de tratar a dor intensa, que não pode ser controlada por outros tratamentos. Essa é uma maneira de melhorar consideravelmente a qualidade de vida do paciente oncológico.

Reconstruir e restaurar

A cirurgia reparadora ou reconstrutora é destinada a melhorar a aparência de alguma região mutilada em decorrência do tumor, de sua ressecção, ou mesmo restaurar a função de algum órgão.

Prevenir o câncer

A cirurgia preventiva é destinada a remover o tecido que, supostamente, tem grandes chances de tornar-se cancerígeno. Assim, é possível prevenir que o câncer se manifeste, na maioria dos casos.

Cirurgia oncológica e outras finalidades

Além de ser fundamental para o tratamento do câncer, a cirurgia oncológica também possui outras finalidades, como por exemplo, fornecer informações importantes para o médico oncologista.

Dessa forma, é possível que haja uma orientação muito maior sobre o estágio da doença e sobre o prognóstico do paciente.

Biópsia

A cirurgia oncológica também consiste em uma das maneiras mais eficazes de diagnosticar o câncer.

Ou seja, após investigar sintomas clínicos, uma biópsia pode ser indicada com o intuito de retirar uma pequena amostra do tecido possivelmente identificado como cancerígeno, que será analisada microscopicamente por testes laboratoriais, para a confirmação do diagnóstico.

Inclusive, em muitos casos, é apenas por meio dessa pequena cirurgia que é possível identificar a presença e o tipo de câncer no paciente.

Após o diagnóstico

Além de emitir informações sobre o diagnóstico e tratar o câncer de forma direta, a cirurgia oncológica também pode ser útil para verificar se há disseminação da doença pelo organismo.

Esse fator é desenvolvido por meio de um exame minucioso ao redor do tumor, incluindo os gânglios linfáticos e os órgãos adjacentes. Assim, além de auxiliar na precisão de informações, a oncologia cirúrgica também pode amenizar desconfortos do paciente, proporcionando maior bem-estar e qualidade de vida.

Cirurgia para a implantação de cateter

Para pacientes com câncer que precisam realizar sessões frequentes de quimioterapia por via endovenosa, há a opção de implante de cateter. A técnica evita a necessidade de realizar punções repetidas nas veias para localizar aquela que seja viável para inserção do medicamento no organismo.

O implante permite acesso permanente ao sistema venoso e torna desnecessária a localização de um vaso sanguíneo a cada nova sessão de quimioterapia. Isso facilita o processo e otimizando o tratamento.

O cateter mais utilizado nos implantes é o chamado Port-a-Cath. Ele é colocado cirurgicamente no tórax, abaixo da clavícula, sob a pele, onde permanece até o paciente ser liberado do tratamento para o câncer.

De qualquer forma, converse com o seu médico oncologista. Para discutir de que maneira a oncologia cirúrgica pode auxiliar no seu tratamento com o câncer.

Gostou do artigo? Aproveite para baixar o nosso e-book completo “Guia do paciente com câncer”.


Material escrito por:
- CRM/SC 10.957 – RQE 7.557, 7.558 e 7.559
Publicado em 07/04/2019

Curso de Medicina na Universidade Federal de Santa Catarina (2003). Especialização em Cirurgia Geral (2005). Especialização em Cirurgia Oncológica (2008)...

Agendamento Online