Quimioterapia

Por: - CRM/SC 3413 - RQE 7715
Publicado em 24/04/2019 - Atualizado 30/07/2019

Quimioterapia

Conheça os tratamentos disponíveis para o câncer e saiba mais sobre cada maneira de atuação para a cura da doença.

Quimioterapia

De maneira geral, a quimioterapia consiste na administração de um ou mais medicamentos para eliminar as células tumorais. Os medicamentos quimioterápicos percorrem todas as partes do organismo, destruindo as células cancerígenas e impedindo que novos focos de disseminação da doença se espalhem pelo restante do corpo.

A quimioterapia é prescrita de forma diferente para cada paciente, assim como avalia detalhadamente o tipo de tumor que será tratado e o estágio da doença. Além disso, dependendo do caso, a quimioterapia pode ser combinada a outros tratamentos para o câncer.

Como a quimioterapia pode ser administrada?

A quimioterapia pode ser administrada de diversas maneiras. Conheça as possibilidades de atuação:

  • via oral: o medicamento é administrado em casa, por meio de comprimidos, cápsulas e líquidos;
  • intravenosa: o medicamento é aplicado diretamente na veia ou por cateter, que pode ser administrado por soro ou injeções;
  • intramuscular: o medicamento é introduzido no paciente por meio de injeções diretamente no músculo;
  • subcutânea: injeções por baixo da pele aplicam o medicamento quimioterápico;
  • intratecal: embora seja menos frequente, a aplicação intracraneal é feita pela administração do líquido por meio da espinha dorsal, sendo necessária a sua realização por um médico ou em centro cirúrgico.

De todo modo, a administração das medicações quimioterápicas deverá ser orientada por um oncologista e poderá variar de uma situação para outra.

Sobre a duração do tratamento quimioterápico, é possível afirmar que será bastante relativa, em cada quadro.

Ou seja, o tipo de tumor será levado em consideração, além das condições do próprio paciente, pois, caso ele sinta-se bem disposto, o tratamento não deverá ser suspenso. E, caso hajam complicações, o médico poderá optar por outros tratamentos.

Atenção às consequências da quimioterapia

Durante o tratamento, é possível que surjam alguns efeitos colaterais indesejáveis, em decorrência da medicação.

Fraqueza, tontura, náuseas, vômitos, diarreia, perda ou aumento de peso, feridas na boca e queda dos cabelos são algumas consequências que a quimioterapia pode trazer. No entanto, esses efeitos colaterais variam de paciente para paciente.

De qualquer forma, esses efeitos colaterais são considerados normais, após a administração do medicamento.

Entretanto, caso outros sintomas sejam manifestados após o retorno do paciente para casa, é importante recorrer imediatamente à ajuda médica. Por exemplo, nas seguintes situações, entre em contato direto com o seu médico oncologista:

  • manchas avermelhadas pelo corpo;
  • dor ou ardência ao urinar;
  • falta de ar;
  • febre alta por mais de duas horas;
  • diarreia por mais de dois dias seguidos;
  • dor específica em qualquer outra parte do corpo, que tenha se manifestado após a medicação

Por isso, é importante estar atento às diferenças dos efeitos colaterais da quimioterapia e as suas possíveis complicações, que podem estar indicando alguma complicação clínica.

Converse com seu médico

De qualquer forma, o ideal é conversar com o médico oncologista e verificar qual é a melhor opção de tratamento para cada caso. Somente um especialista de confiança poderá lhe orientar sobre a melhor maneira de se tratar o problema e quais são os benefícios e limitações de cada terapia para tratar o câncer.

Gostou do artigo? Entre em contato com nossa equipe para maiores informações. Baixe, também, o nosso e-book “Guia do paciente com câncer” e tire todas as dúvidas sobre a doença.


Material escrito por:
- CRM/SC 3413 - RQE 7715
Publicado em 24/04/2019 - Atualizado 30/07/2019

Oncologia clínica Curso de Medicina na Universidade Federal de Santa Catarina (1981) Especialização em Oncologia Clínica (1985)

Agendamento Online
Whatsapp