Blog

É possível viver sem estômago? Tire suas dúvidas sobre a gastrectomia

Material escrito por:
Clínica Soma
É possível viver sem estômago? Tire suas dúvidas sobre a gastrectomia

O estômago é o órgão responsável pela digestão dos alimentos que nós consumimos. Ele é capaz de triturar os alimentos facilitando o processo de digestão, por conta do ácido clorídrico e das enzimas digestivas. Quando uma pessoa tem câncer de estômago, a retirada do órgão, pode ser uma opção, mesmo que muitas das vezes as chances de recidiva sejam grandes.

Em meio a tantas explicações sobre as possibilidades de tratamento, muitas dúvidas sobre esse assunto surgem, afinal, é possível viver sem estômago?

Sim! Uma pessoa que fez a retirada do estômago pode viver uma vida normal, porém, as responsabilidades e os cuidados serão maiores, uma vez que a quantidade de comida muda e os nutrientes deixam de ser bem absorvidos pelo organismo. É necessária toda uma reeducação, onde um acompanhamento médico e nutricional é de extrema importância, afinal, o hábito alimentar precisa mudar para se ter uma vida normal.

Mas, como acontece a retirada do estômago? O nome do procedimento conhecido por essa prática é gastrectomia.

O que é a gastrectomia ou retirada do estômago?

gastrectomia é um procedimento cirúrgico explicado pela remoção total ou parcial do estômago. Esse procedimento é muito indicado como tratamento para várias doenças, sendo o câncer de estômago uma delas.

É importante falar, que mesmo sendo um paciente com câncer, é mais que essencial a realização de uma série de exames prévios como exames de sangue, além de como está o funcionamento do organismo e o histórico de saúde. O especialista precisa avaliar todos os resultados para saber se recorrer a gastrectomia é o ideal, fora que dessa forma, o paciente vai para a cirurgia sem outros riscos.

O tipo de cirurgia a ser realizado em um paciente com câncer de estômago, vai variar conforme o comprometimento dos tecidos adjacentes e a gastrectomia é dividida e dois tipos.

  • Gastrectomia subtotal

É constantemente utilizada quando o câncer se encontra na parte inferior do estômago, porém, em algumas situações dependendo das circunstâncias, pode ser feita em cânceres encontrados na parte superior. É na gastrectomia subtotal que ocorre a remoção de apenas de parte do estômago, e então a outra parte é religada. Nesse caso, todos os cuidados, além da alimentação, acabam sendo facilitados, já que apenas uma parte do estômago é removida ao invés de todo o órgão.

  • Gastrectomia total

Esse método só é realizado quando o câncer já tomou todo o estômago, podendo também ser indicada em casos que a doença atinge a parte superior do estômago, próximo do esôfago. A gastrectomia total é mais severa, pois além da remoção de todo o estômago, os linfonodos que estão próximos, também são removidos, podendo incluir, a remoção do baço e partes do esôfago, intestino, pâncreas e outros órgãos próximos. Pacientes que fizeram a gastrectomia total só podem ingerir pouca quantidade de comida, em consequência, devem se alimentar muitas vezes ao dia.

Qualquer cirurgia é um procedimento delicado, com riscos de complicações como lesões á órgãos próximos, coágulos, sangramentos durante o processo, e no caso da gastrectomia não seria diferente. No entanto, raramente irá acontecer o vazamento das ligações feitas entre o estômago e o intestino.

Efeitos colaterais existem e são comuns, sintomas como náuseas, dor abdominal, azia e até mesmo diarreia, podem ocorrer, tudo em consequência das mudanças no organismo.

Converse com seu médico sobre todas as opções de tratamentos possíveis para o seu caso e se a gastrectomia for a escolha ideal, questione quanto do estômago será necessário remover. Muitos cirurgiões visam manter o máximo possível do estômago, afinal, quanto menos do estômago é retirado, melhor será a alimentação do paciente.

Acesse nosso blog para saber mais sobre câncer de estômago e seus tratamentos. A Clínica Soma oferece os mais avançados recursos disponíveis, além de ter os melhores profissionais para o seu tratamento. Quer conhecer mais sobre o assunto? Siga-nos no Facebook Instagram e fique por dentro dos nossos mais novos tratamentos!

Conteúdos Relacionados