Blog

Estresse e doenças autoimunes: qual a relação?

Material escrito por:
Clínica Soma
Estresse e doenças autoimunes: qual a relação?

O estresse é uma resposta natural do organismo à certos estímulos súbitos ou ameaçadores. Por isso, ele provoca algumas reações no corpo para se adaptar a essa nova realidade. Em vista disso, é comum se perguntar se as doenças autoimunes e o estresse possuem alguma relação.

É muito importante ter em mente que as doenças autoimunes são definidas pelo sistema imunológico afetado, uma vez que ele fica desorientado e passa a atacar o próprio organismo. Mas o que isso tem a ver com o estresse?

De acordo com um estudo, publicado no Journal Of The American Medical Association (JAMA), é altamente provável que as emoções, principalmente o estresse, estejam diretamente ligadas ao surgimento das doenças autoimunes.

Nesse estudo, foram analisados 106.464 pessoas com transtornos relacionados ao estresse. O resultado foi que as pessoas submetidas ao estresse tiveram significativamente mais chances de ser diagnosticadas com algum tipo de doença autoimune do que aquelas que não passaram por situações de estresse.

Ou seja, é possível dizer que existe uma relação entre estresse e doenças autoimunes, embora esse mecanismo ainda não seja inteiramente compreendido.

Como o estresse atua no cérebro

Para que o corpo se adapte aos estímulos súbitos ou ameaçadores que o estresse causa, o cérebro passa a provocar reações que vão ativar a produção de determinados hormônios, como o cortisol e a adrenalina.

A adrenalina provoca um estado de alerta, fazendo com que a pessoa possa reagir, caso necessário. É por conta desses hormônios que ocorre o aumento das reações fisiológicas, como a aceleração da respiração e até mesmo taquicardia.

É muito importante destacar que as razões que desencadeiam o estresse são muitas, assim como ele pode ser causado por alguma doença. Ou seja, existem doenças que podem ser causadas pelo estresse, enquanto outras trazem ele como sintoma.

Com isso, pode-se afirmar que o estresse e as doenças autoimunes, como a artrite reumatoide, possuem uma ligação. O estresse também aumenta o risco de depressão, assim como outros transtornos mentais.

As causas mais comuns para o estresse são:

  • problemas financeiros;

  • problemas profissionais;

  • problemas nas relações afetivas;

  • falta de descanso e lazer;

  • doenças;

  • insegurança;

  • outros.

Tenha em mente que esses fatores, em junção a hábitos prejudiciais à saúde (como tabagismo, excesso de álcool no organismo, drogas e até mesmo medicamentos em excesso), ajudam a danificar o sistema imunológico, assim como estresse.

Existe uma íntima ligação entre o sistema nervoso e o sistema imunológico. Afinal, é comum que certas doenças autoimunes manifestem suas crises em situações de estresse ou imunidade afetada, como é o caso da psoríase.

Ou seja, elas só aparecem depois que o sistema imunológico fica gravemente abalado, e o estresse é um elemento que pode danificar o sistema imunológico, ajudando na aparição dessas doenças.

Como diminuir o estresse em pacientes com doenças autoimunes

É importante destacar que o estresse compromete todo o equilíbrio do organismo, dificultando o controle do sistema imune pelos mecanismos fisiológicos. Dessa forma, o sistema imunológico passa a não trabalhar bem, o que faz com que as doenças acabem se manifestando.

Portanto, segundo o Ministério da Saúde, a melhor forma de prevenir e controlar o estresse, seja para pacientes com doenças autoimunes ou não, é a partir da:

  • alimentação saudável;

  • atividades físicas e

  • medicamentos.

Vamos entender um pouquinho mais.

Alimentação

alimentação é um fator muito importante para que seu corpo e mente fiquem saudáveis, principalmente para portadores de doenças autoimunes.

Assim, é essencial que as pessoas apostem em verduras e frutas, como brócolis, chicória, acelga e alface. Leite e seus derivados também devem ser consumidos para recuperar o cálcio perdido.

Atividades físicas

As atividades físicas proporcionam inúmeros benefícios ao organismo. A prática constante melhora as funções cardiovasculares e respiratórias, queima calorias e ajudam no condicionamento físico.

Para quem possui doenças autoimunes, como a artrite reumatoide, os exercícios físicos também são fundamentais para melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Portanto, ao praticar alguma atividade física, você induz a produção de substâncias que são naturalmente relaxantes e analgésicas, como a endorfina, hormônio capaz de aliviar o estresse.

Medicamentos

Nesse caso, apenas um especialista poderá indicar o melhor remédio para você.

Portanto, se você tem apresentado sintomas de estresse e é portador de doenças autoimunes, o ideal é que marque uma consulta com um psiquiatra ou neurologista e deixe que o profissional analise seu quadro. Dessa forma, ele irá  decidir qual é a melhor forma de tratamento para você.

Além disso, tenha em mente que evitar o estresse também é fundamental, e você pode fazer isso das seguintes formas:

  • se afaste do que te causa estresse, mesmo que por um pequeno período;

  • libere sua energia física, faça atividades físicas ou limpe a casa;

  • lide com um problema/tarefa de cada vez;

  • tenha mais momentos de lazer;

  • faça coisas que gosta sempre que puder.

Lembre-se que doenças autoimunes não têm cura, e que o tratamento baseia-se no controle da doença. Por esse motivo, adotar medidas que ajudem a controlar situações de estresse é muito importante para garantir qualidade de vida e não prejudicar ainda mais o sistema imunológico.

Gostou do assunto? Quer ler mais conteúdos como esse e saber mais sobre as doenças autoimunes? Então acesse o nosso blog e fique por dentro de todos os nossos artigos! Aproveite e nos siga no Facebook Instagram para não perder nenhuma das nossas atualizações.

Conteúdos Relacionados