Blog

Setembro verde: Prevenção do câncer de intestino

Material escrito por:
Clínica Soma
Setembro verde: Prevenção do câncer de intestino

O câncer de intestino, também conhecido como câncer de cólon e reto ou câncer colorretal, consiste no surgimento de tumores que, inicialmente, se instalam nestes locais.

Ouça este conteúdo:

 

Geralmente, a maioria desses tumores aparecem a partir de lesões benignas que podem se desenvolver na parte interna do intestino grosso, chamadas de pólipos. Por isso, podemos dizer que essa é uma doença de prevenção muito eficaz, já que quando o pólipo é identificado e retirado, estamos evitando que haja uma evolução para o câncer. Este procedimento é realizado durante o exame de colonoscopia.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), no ano de 2020, a estimativa de novos casos é de quase 41 mil pessoas acometidas. No entanto,  na grande maioria dos casos, o problema é totalmente curável, caso seja identificado precocemente.

Leia o artigo para compreender a melhor forma de tratar o câncer de intestino, quais seus principais sintomas e de que maneira um diagnóstico seguro pode ser realizado.

Câncer de intestino: conheça os fatores de risco

É muito importante manter-se atento para os fatores de risco para que um tumor se desenvolva, já que a partir disso, a prevenção da doença torna-se mais eficaz.

No caso do câncer de intestino, destacamos como os principais fatores de risco, os seguintes atributos:

  • idade superior a 50 anos;
  • excesso de peso corporal;
  • histórico familiar de câncer de intestino;
  • histórico pessoal de câncer de ovário, câncer de útero e câncer de mama;
  • tabagismo;
  • consumo de bebidas alcoólicas;
  • exposição à radiação ionizante.

Além disso, uma dieta pobre em fibras, vegetais e frutas, e rica em carnes vermelhas e processadas também contribuem para o risco aumentado do desenvolvimento da doença.

Outro fator importante é o histórico de doenças inflamatórias intestinais, como doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa, que também aumentam o risco para o desenvolvimento de câncer de intestino.

Pacientes com outras doenças hereditárias, como polipose adenomatosa familiar (FAP) e câncer colorretal hereditário sem polipose (HNPCC), também devem ser acompanhados individualmente para monitorar as chances de desenvolvimento de um tumor no intestino.

Sinais e sintomas do câncer de intestino

Algumas manifestações comuns ao câncer de intestino devem ser observadas com atenção. Podemos classificar como sintomas frequentemente associados a esse tipo de câncer:

  • fraqueza e anemia;
  • presença de sangue nas fezes;
  • desconforto abdominal, como gases ou cólicas;
  • diarreia e prisão de ventre em alternância;
  • perda de peso sem motivo aparente;
  • crescimento de massa abdominal;
  • alteração na forma das fezes;
  • vontade frequente de ir ao banheiro;
  • sensação de evacuação incompleta.

Embora os sintomas também estejam associados a outras doenças, é fundamental procurar ajuda médica ao persistirem os sinais, principalmente quando não apresentam melhora após alguns dias.

Além disso, quando a doença está em sua fase inicial, é possível que seja assintomática. Por isso, é muito importante que a prevenção da doença seja realizada, principalmente se o paciente se encontra familiarizado aos fatores de risco mencionados.

Prevenção e diagnóstico precoce

A confirmação do câncer de intestino é feita pela biópsia, exame que retira um pequeno pedaço de tecido referente a lesão suspeita por meio de um endoscópio, aparelho introduzido pelo reto.

Para prevenir o câncer de intestino, é necessário fazer uma investigação precoce do problema, quando há histórico na família ou se o paciente apresenta identificação com os fatores de risco.

Assim, o ideal é realizar exames clínicos, radiológicos ou laboratoriais se o paciente apresenta sintomas da doença ou ainda fazer um rastreamento nos pacientes que não manifestam sintomas, mas fazem parte do grupo de risco.

De qualquer forma, mesmo as pessoas que não trazem a incidência dos fatores de risco, devem fazer o rastreamento da doença após os 50 anos, pelo exame oculto das fezes.

Os tumores de cólon e reto também podem ser identificados precocemente por meio de endoscopias, como a colonoscopia ou retossigmoidoscopias.

Setembro Verde

Inclusive, durante o mês de setembro, é realizada uma campanha com o intuito de oferecer informações gerais para a população sobre o câncer de intestino, assim como a melhor forma de preveni-lo.

Uma ação idealizada pela Sociedade Catarinense de Coloproctologia (SCCP/ABRAPRECI/SBCP), o Setembro Verde busca orientar a população para a existência da doença e traz um alerta para a necessidade de realizar exames preventivos.

Tratamento do câncer de intestino

Para tratar o câncer de intestino, recomenda-se a cirurgia oncológica inicialmente, no intuito de retirar a parte do intestino que foi afetada. Além disso, os gânglios linfáticos dentro do abdome também devem ser removidos.

A radioterapia associada à quimioterapia também está indicada nos casos em que é necessário diminuir a possibilidade recidiva do tumor.

Esse artigo foi útil para você? Continue lendo informações confiáveis no Facebook e Instagram da Soma.

Conteúdos Relacionados