Cirurgia torácica

cirurgia torácica é uma especialidade médica que trata das intervenções no tórax (tecidos, ossos e músculos) e no sistema respiratório (traquéia, brônquios, pulmões, pleuras e mediastino), para tratar diversos tipos de enfermidades, como o câncer de pulmão.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de pulmão é segundo tipo mais comum no Brasil, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Mas, em todo o mundo, a sua incidência é a maior desde 1985, tanto de diagnósticos quanto de óbitos.

No entanto, o número de casos vem diminuindo ao longo dos anos, devido à diminuição do tabagismo e do avanço da medicina para o tratamento da doença, como a realização da cirurgia torácica. Atualmente, sendo possível a realização de cirurgias minimamente invasivas com excelentes resultados e recuperação precoce, algo sempre desejado aos  pacientes oncológicos.

Quando a cirurgia torácica é indicada?

cirurgia torácica é indicada para uma série de procedimentos, desde o tratamento contra câncer de pulmão, até procedimentos mais simples. Normalmente, a intervenção é feita nos seguintes casos:

  • fraturas de costela;
  • hiperidrose (sudorese excessiva);
  • pneumotórax;
  • derrame pleural;
  • intervenções estéticas;
  • câncer de pulmão;
  • transplante de órgãos.

Atualmente, a cirurgia torácica por vídeo é utilizada com segurança em uma gama de condições clinicas, substituindo com segurança as intervenções tradicionais. Em alguns centros, desponta a tecnologia robótica como uma alternativa, sendo segura, eficaz, porém ainda com um custo elevado.

Devido ao seu amplo atendimento, a cirurgia torácica é feita em conjunto com uma série de especialistas médicos, como anestesiologistas, infectologistas, pneumologistas, radioterapêutas, oncologistas e cardiologistas.

Importante destacar que o papel do cirurgião torácico é atuar no diagnóstico e tratamento, sendo o profissional que consegue definir se o paciente é candidato ä remoção cirúrgica da neoplasia pulmonar, sendo parte de um protocolo de tratamento multidisciplinar, sempre procurando o melhor tratamento para cada paciente.

Há alguma contraindicação?

cirurgia torácica tem as mesmas contraindicações de quaisquer outros procedimentos cirúrgicos. Porém, é preciso ter uma atenção maior com os pacientes que possuem:

  •  distúrbio hemorrágico não corrigido;
  • anticoagulação;
  • esquemia cardíaca aguda
  • instabilidade ou insuficiência dos órgãos
  • enfisema pulmonar

Pacientes com ventilação mecânica não são contraindicados para a cirurgia torácica, entretanto, é necessário cuidados específicos para cada caso.

Como é feita a cirurgia torácica?

A cirurgia torácica convencional utiliza três principais abordagens: a toracotomia anterior (lateral limitada), a posterolateral e a incisão esternal separadora.

No primeiro caso, a toracotomia anterior ou lateral limitada, o procedimento é feito com uma incisão intercostal de 6 a 8 cm para atingir as estruturas anteriores do tórax. Pacientes submetidos à intervenção devem permanecer no hospital por até 4 dias, além de necessitar de um tubo torácico nos primeiros dias de recuperação.

Já a segunda, a toracotomia posterolateral, realiza uma incisão para acesso à pleura, hilo e todo o pulmão.

Por fim, a incisão esternal separadora, também conhecida como esternotomia, normalmente é utilizada para as intervenções nas doenças mediastinais.

Com a evolução da tecnologia, ocorre a evolução dos procedimentos cirúrgicos, sendo possível hoje em dia que a maioria das intervenções feitas pela cirurgia torácica utilizem a via minimamente invasiva, com pequenas incisões para tratamento das mais diversas condições, com resultados clínicos e oncológicos equivalentes e com recuperação pós operatória mais rápida.

Há alguma complicação?

As complicações na cirurgia torácica são bastante raras, mas sempre há um risco, já que estamos lidando com um trauma cirúrgico. Entre eles, destacam-se: hemorragias, infecções, pneumotórax, fístula broncopleural e reação aos anestésicos.

Importante ressaltar que as complicações são maiores quando os cuidados pós-cirúrgicos não são levados a sério. Portanto, é imprescindível seguir as recomendações médicas.

A cirurgia torácica dói?

Essa é uma pergunta muito comum dos pacientes que serão submetidos à cirurgia torácica. A intensidade da dor é um conceito muito subjetivo, mas a maioria das intervenções é realizada com aplicação de anestesia, o que reduz os sintomas do procedimento.

Contudo, pode haver dores nos primeiros dias após a incisão. Por isso, o descanso é fundamental para a recuperação do paciente.

Como é a recuperação da cirurgia torácica?

A recuperação da cirurgia torácica é lenta e progressiva. Normalmente, recomenda-se que o paciente permaneça por 15 dias em repouso, evitando atividades como dirigir e trabalhar. Já os exercícios físicos são liberados somente após 30 dias.

A internação do paciente pode durar até 5 dias, com extensão de até uma semana para procedimentos mais invasivos.

Para melhor recuperação da cirurgia torácica, recomenda-se seguir as prescrições médicas quanto ao uso de antibióticos para evitar infecções, descanso e alimentação equilibrada. Em alguns casos, pode haver recomendações específicas para o paciente.

Entre em contato com a Clínica SOMA para mais informações sobre a cirurgia torácica e intervenções contra o câncer de pulmão!

Cirurgia torácica

Gostou? Compartilhe

Material escrito por:
esaude@clinicasoma