Hematologia clínica

A hematologia clínica é uma área da medicina que trabalha com o tratamento das doenças do sangue, isto é, as enfermidades que atingem os glóbulos vermelhos (hemácias), brancos (leucócitos) e as plaquetas.

Normalmente, a hematologia clínica está associada ao tratamento de anemia, trombose e outros problemas mais frequentes. Contudo, a área também inclui a terapia contra vários tipos de cânceres hematológicos, como a leucemia, linfoma e mieloma.

De acordo com projeções do Instituto Nacional do Câncer (INCA), mais de 10.810 casos de leucemia foram diagnosticados em 2020. Já o mieloma múltiplo, um tipo mais raro, atinge quase 230 mil pessoas em todo o mundo, segundo a International Agency for Research on Cancer (IARC).

Como é o trabalho do hematologista?

O hematologista é o profissional responsável pelo estudo da hematologia clínica, atuando no tratamentos contra distúrbios no sangue (benignos ou malignos), do ponto de vista patológico, além de procedimentos relacionados à transfusão.

O profissional deve ser formado em Medicina (em média, 6 anos), cumprindo os dois anos obrigatórios em Residência Médica e, posteriormente, mais dois anos na especialização em Hematologia e Hemoterapia, com um mais um ano opcional para aprender sobre transplante de medula óssea.

Através de exames de sangues específicos, os hematologistas são capazes de identificar anormalidades no sangue, deficiência de nutrientes, além de outros problemas de saúde. A hematologia clínica, portanto, é complementar à laboratorial.

Na hematologia clínica, o profissional irá prestar assistência aos pacientes diagnosticados com cânceres no sangue e outras doenças, bem como na prescrição de quimioterapias. Se necessário, o hematologista pode requisitar exames complementares, como aspiração da medula óssea, punção lombar e hematoscopia.

Quais são os principais cânceres hematológicos?

A hematologia clínica trata, principalmente, a ocorrência de cânceres hematológicos. Felizmente, é uma das áreas da medicina de maior crescimento nos últimos anos, com avanços científicos para melhor diagnóstico e terapia para os pacientes oncológicos.

A seguir, conheça os principais tipos de cânceres hematológicos diagnosticados e tratados pela hematologia clínica.

Leucemia

A leucemia é um câncer maligno que acomete os glóbulos brancos do sangue, causando o acúmulo de células cancerígenas da medula óssea. A origem da doença ainda é desconhecida, mas alguns estudos atestam que a radiação ionizante e o benzeno são fatores ambientais que aumentam o risco.

Os sintomas mais frequentes da leucemia são:

  • perda de peso;
  • fadiga excessiva;
  • inchaço dos gânglios;
  • febre e sudorese;
  • plaquetas baixas;
  • manchas roxas na pele.

Existem mais de 12 tipos de leucemia diagnosticados pela hematologia clínica, com destaque para a leucemia mieloide aguda (LMA), leucemia mieloide crônica (LMC), leucemia linfocítica aguda (LLA) e leucemia linfocítica crônica (CLL).

Linfoma

O linfoma ocorre com a mutação de células no sistema linfático, que se multiplicam e causam metástase da doença. De acordo com o INCA, o ano de 2018 registou quase 13 mil novos casos e cerca de 4.950 óbitos.

De acordo com a gravidade do câncer, ele pode ser dividido em dois grandes grupos: o linfoma de Hodgkin e o linfoma não Hodgkin. Contudo, os sintomas são parecidos:

  • febre e sudorese;
  • perda de peso;
  • fraqueza;
  • aumento do abdômen.

O tratamento orientado pela hematologia clínica é a quimioterapia e a radioterapia, na maioria dos casos.

Mieloma múltiplo

O mieloma múltiplo atinge as células plasmáticas, que se tornam cancerígenas e crescem fora de controle, causando a metástase da doença em todo o corpo.

Nesse tipo de câncer, há uma diminuição da contagem das células sanguíneas, o que pode causar anemia, devido à carência dos glóbulos vermelhos. Além disso, as células do mieloma também interferem no crescimento dos ossos, por isso, é preciso ter cuidado com as fraturas.

O tratamento para mieloma múltiplo envolve o diagnóstico pela hematologia clínica, em conjunto com a quimioterapia e radio. Esse é um tipo de câncer hematológico mais raro, com maior frequência em idosos.

No surgimento de quaisquer sintomas, é importante procurar um médico para diagnóstico específico. Quando mais cedo o câncer é identificado, maiores são as chances de cura e melhora da qualidade de vida dos pacientes.

A abordagem terapêutica irá depender diretamente do tipo de câncer, o estágio e as particularidades de cada paciente. Por isso, procure por atendimento personalizado.

Quer saber mais sobre a hematologia clínica e os cânceres hematológicos? Entre em contato com a Clínica SOMA e conheça os principais avanços na área!

Hematologia clínica

Gostou? Compartilhe

Material escrito por:
Dr. Deivid Calebe de Souza
Geneticista - CRM 27223 RQE 17542