Oncologia Clínica

A Oncologia Clínica consiste em uma especialidade médica voltada para atuar na assistência, supervisão, orientação e desenvolvimento do ensino destinado ao tratamento do câncer.

Ou seja, a Oncologia Clínica atua na coordenação de toda a equipe multidisciplinar responsável pelo tratamento do câncer, já que a doença exige um acompanhamento que trabalhe também os efeitos colaterais e ocorrências de diversas áreas relacionadas à doença.

Veja de que forma atua um oncologista clínico e conheça a importância desse profissional para o tratamento oncológico apresentar maior eficácia:

Oncologia clínica: o que precisamos saber a respeito?

De forma geral, é importante orientar que o oncologista clínico é responsável pelo diagnóstico e tratamento do câncer, seja curativo ou paliativo.

O câncer é uma doença que envolve várias terapias complementares e, consequentemente, pede pela ajuda de diversos profissionais que possibilitam uma assistência completa para a interrupção da doença.

Por isso, o oncologista clínico é capaz de guiar todo o processo e orientar a equipe para que as melhores decisões sejam tomadas, mediante a análise específica de cada caso.

Na prática, podemos dizer que o trabalho da Oncologia Clínica, diz respeito a analisar, supervisionar e realizar as seguintes funções:

  • procedimentos de diagnósticos;
  • organização de protocolos;
  • orientação sobre o estadiamento e seguimento da doença;
  • escolha dos tratamentos realizados;
  • analgesia;
  • coordenação da abordagem multidisciplinar;
  • avaliação da necessidade de terapias adicionais;
  • prevenção do câncer e de complicações da doença.

Além disso, o oncologista clínico atua nas situações de emergência do paciente oncológico, assim como no direcionamento de tratamentos específicos para cada tipo de tumor, como na administração de medicamentos para imunoterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapias alvo-moleculares.

Por isso, um dos desafios destinados ao oncologista clínico é a adaptação às inovações para o tratamento do câncer, o que exige muito estudo e aprofundamento de pesquisa até o alcance da aplicabilidade, de fato. 

Assim, o profissional é capaz de oferecer a escolha dos melhores medicamentos e tratamentos para cada situação, mantendo-se constantemente atualizado.

Como o oncologista clínico pode tornar o tratamento oncológico ainda mais eficaz?

Além de atuar diretamente no diagnóstico, assim como na supervisão de outros profissionais envolvidos no tratamento e aplicabilidade dos tratamentos oncológicos, o oncologista clínico deve se preocupar em dar suporte ao paciente.

Por isso, embora a presença de um psicólogo seja indispensável durante o tratamento do câncer, a escuta atenciosa do oncologista clínico é fundamental para garantir também o sucesso do tratamento.

Tirar todas as dúvidas com o oncologista a respeito do diagnóstico e tratamentos, assim como buscar pelo esclarecimento das reais expectativas do caso é um passo muito importante para diminuição da ansiedade do paciente e dos familiares

Além disso, essa relação verdadeira é essencial para fortalecer a relação médico-paciente e consequentemente, estabelecer maior confiança no processo, o que interfere diretamente na capacidade de cura da doença.  

Também é fundamental que o paciente não compare a sua situação com outros casos, já que as doenças apresentam atuações totalmente diferentes, assim como a evolução do tratamento e os consequentes efeitos colaterais

Por isso, para que o paciente não se desespere e nem obtenha informações erradas, é imprescindível que mantenha uma relação saudável com o oncologista.

Atendimento humanizado é fundamental

Um dos grandes diferenciais de um oncologista clínico é a competência de preservar o atendimento humanizado para com os seus pacientes. 

Ou seja, um profissional de confiança e respeito nessa área é aquele que compreende o momento crítico do paciente e, por isso, o acolhe e busca verdadeiramente ajudá-lo.

Por isso, caso você se depare com um oncologista que não apresente esses atributos, não hesite em procurar outro profissional.

Lembre-se que o atendimento humanizado é um pré-requisito para a realização de um bom trabalho, assim como representa uma obrigação para o especialista e um direito para o paciente oncológico.  

Por quanto tempo deve ser o acompanhamento com o oncologista clínico?

Além de auxiliar o paciente oncológico durante o tratamento, é importante que o contato com o profissional continue mesmo após o término dos cuidados.

Por isso, as consultas com o oncologista devem acontecer antes, durante e após a finalização do tratamento. Isso pois, além das chances de o tumor voltar, há o risco de que complicações possam surgir em decorrência das terapias utilizadas durante o tratamento oncológico.

Geralmente, o acompanhamento com o oncologista clínico prossegue de 5 à 15 anos. Inicialmente, as consultas e a indicação de exames acontecem com maior frequência, mas depois de algum tempo, os intervalos entre os encontros são maiores. 

Entretanto, se o caso não apresentar chances de cura, o acompanhamento deve acontecer pelo resto da vida do paciente.

Continue lendo informações confiáveis sobre o câncer no blog da Clínica Soma e também no Facebook e Instagram!

Oncologia Clínica

Gostou? Compartilhe

Material escrito por:
Clínica Soma
Tratamentos oncológicos e com imunobiológicos em Florianópolis