Blog

Urticária crônica espontânea: saiba o que é e como tratar

Material escrito por:
Clínica Soma
Urticária crônica espontânea: saiba o que é e como tratar

A Urticária Crônica Espontânea (UCE) é uma doença cutânea, caracterizada pelo surgimento de lesões avermelhadas na pele, que podem mudar de local e provocar coceira intensa em diversas partes do corpo. 

Podem vir acompanhadas ou não de angioedemas, que consistem em inchaços que surgem no decorrer do corpo.

É muito importante buscar ajuda médica assim que surgem os primeiros sintomas, pois na maioria das vezes, a urticária crônica espontânea é confundida com reações alérgicas de menor gravidade. 

No entanto, são problemas diferentes e, por isso, também merecem atenção e tratamentos distintos. Leia o artigo e entenda mais sobre a doença:

Ouça este conteúdo: 

 

Urticária Crônica Espontânea: como identificá-la?

A UCE é caracterizada como uma doença de ocorrência diária ou quase diária, estabelecida por um período maior do que seis semanas. 

Os principais sintomas da doença são: urtica e angioedema, na maioria das vezes, sendo possível que o paciente apresente apenas um ou outro sintoma, ou ambos simultaneamente. 

Veja o que consiste cada uma dessas manifestações:

Urticas

Urticas são lesões em alto-relevo na pele, que na maioria das vezes, surgem rodeadas por uma borda vermelha. Essas lesões provocam uma coceira intensa, levando o paciente a um incômodo profundo, já que passa a fazer suas atividades diárias com bastante esforço.

Uma característica muito marcante da urtica é que consiste em uma lesão que permanece no mesmo local por, no máximo, 24 horas. Além disso, após esse período, a lesão reaparece em outras áreas do corpo.

Angioedema

Angioedema é um inchaço que se manifesta nas camadas mais profundas da pele, provocando dor e incômodo profundo. Embora possa surgir em qualquer parte do corpo, geralmente, aparece no rosto e também o deforma com mais intensidade.

Na maioria das vezes, o angioedema surge de repente e desaparece em até 72 horas, podendo reaparecer em outras partes do corpo.

É fundamental compreender que essa doença não é causada por cosméticos, alimentos, produtos de limpeza ou outros fatores externos. Além disso, a Urticária Crônica Espontânea também não deve ser confundida com urticária, pois são apresentações distintas do problema.

Qual a diferença entre urticária e a UCE?

A urticária é uma irritação causada por lesões avermelhadas e com certo inchaço, que surgem em decorrência de fatores externos, como alimentos, medicamentos, produtos de limpeza e cosméticos. 

Já na UCE, as lesões são desencadeadas por reações do próprio organismo e não por agentes externos e, por isso, surgem espontaneamente.

Por isso, embora as lesões possuam muito em comum, a grande diferença diz respeito ao tempo em que as crises se instalam e a forma como se manifestam, mas como é uma diferença muito sutil, é fundamental redobrar a atenção.

Na maioria das vezes, as pessoas ficam muito confusas sobre a causa das lesões na pele, por acreditarem que o problema está surgindo em decorrência de fatores causadores de reações alérgicas. Em um quadro de UCE, além da urtica, o inchaço causado pelo angioedema também aparecem sem dar aviso.

Dessa forma, é fundamental que, ao iniciar ou persistir qualquer um dos sintomas, o paciente procure ajuda médica para confirmar o diagnóstico correto.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico da UCE é predominantemente clínico. Ou seja, após identificar a presença da urticária, será feita uma avaliação para verificar se a urticária é crônica, que se dá quando os sintomas duram por mais de seis semanas ou se a é urticária aguda, quando os sintomas desaparecem em até seis semanas.

A partir disso, o tratamento será indicado. Caso o diagnóstico apresente a Urticária Crônica Espontânea, o problema precisa ser controlado para que não prejudique a qualidade de vida do paciente.

Logo, a doença deverá ser monitorada por questionários responsáveis por medir a gravidade dos sintomas.

É muito importante persistir no diagnóstico correto, pois muitas vezes, a confirmação da doença leva até cinco anos para ser efetivada.

Tratamento

Comprovado o diagnóstico, o tratamento para UCE terá como intuito controlar os sintomas, permitindo que o paciente possa conviver com o problema sem que suas atividades rotineiras sejam prejudicadas.

Embora a UCE seja uma doença que possa desaparecer sozinha, em alguns casos, isso pode demorar anos até acontecer. Por isso, para auxiliar o bem-estar do paciente, é fundamental que haja um tratamento para o problema.

O ideal é fazer uso de anti-histamínico ou mesmo entrar com outras medicações, conforme recomendação médica.

Os medicamentos imunobiológicos, por exemplo, apresentam resultados otimistas para o problema, já que atua diretamente no anticorpo desencadeador da doença, evitando a liberação de histamina no organismo e, consequentemente, impedindo a aparição dos sintomas cutâneos.

Saiba mais sobre os medicamentos imunobiológicos e sua eficácia

Conteúdos Relacionados