Cuidados para evitar o câncer de pele

18/01/2017

Cuidados para evitar o câncer de pele

Evitar a exposição excessiva ao sol e proteger a pele dos efeitos da radiação ultravioleta são os melhores cuidados para evitar o câncer de pele. Pessoas de pele clara, com sardas, cabelos claros ou ruivos e olhos claros precisam redobrar a atenção, pois fazem parte do grupo em que há maior risco de a doença se desenvolver. Nem por isso, pessoas com características opostas (pele mais escura ou negra, cabelos e olhos escuros) estão livres para se expor ao sol sem proteção. Entre elas, mesmo sendo menor, ainda há a possibilidade de o câncer de pele surgir caso os cuidados sejam negligenciados.

Pessoas com histórico da doença na família, queimaduras solares, incapacidade para bronzear e pintas também devem ter atenção e cuidados redobrados. Segundo o Instituto Nacional do Câncer, um quinto dos casos novos de câncer no país são de pele.

Principais cuidados para evitar o câncer de pele

Os cuidados para evitar o câncer de pele são:

  • usar chapéus, camisetas e protetor solar;
  • evitar a exposição solar e permanecer na sombra entre 10h e 16h (no horário de verão);
  • na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta;
  • usar filtro solar diariamente, contra radiação UVA e UVB e com fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo;
  • reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre;
  • observar regularmente a própria pele, à procura de pintas ou manchas suspeitas;
  • consultar um dermatologista uma vez ao ano, no mínimo, para um exame completo;
  • manter bebês e crianças protegidos do sol (a partir dos seis meses o filtro solar já pode ser aplicado).

Riscos da exposição solar em excesso

A exposição à radiação ultravioleta tem efeito cumulativo. Ou seja, a cada vez que o corpo está sob o sol, principalmente sem proteção, a radiação que penetra na pele não a prejudica somente naquele momento, mas os efeitos perduram por toda a vida. Cada vez que a pessoa se expõe ao sol e a pele entra em contato com os raios ultravioletas, ela recebe uma nova “carga” de radiação que se soma à anterior e, gradativamente, afeta a pele.

A exposição solar em excesso pode causar tumores benignos (não cancerosos) ou cancerosos, como o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma. Por isso, atentar-se para os cuidados que colaboram na prevenção do câncer de pele é tão importante, desde os primeiros anos de vida. Em caso de qualquer suspeita, um médico deve ser consultado. A detecção precoce de qualquer tipo de câncer aumenta as chances de cura da doença.