Blog

Como lidar com o tratamento oncológico da melhor forma

Material escrito por:
Clínica Soma
Como lidar com o tratamento oncológico da melhor forma

Imagine-se em uma situação onde é preciso lidar com um tratamento oncológico, qual seria o sentimento? Imagine que você e sua mãe estão em casa quando recebem uma ligação do seu cunhado para contar que ele teve de levar sua irmã para a emergência do hospital porque ela estava sentindo muitas dores na região do ventre.

Os médicos identificaram nos exames que a dor era causada por um cisto que se formou nas trompas e foi necessária realizar uma cirurgia de emergência para removê-lo. No cisto, havia um tumor. Dias depois chega o resultado da biopsia. O tumor é maligno. Sua irmã está com câncer.

Como você reagiria diante desta notícia?

É difícil para quem nunca passou por isso vislumbrar qual seria exatamente a reação diante da notícia. Ainda mais se ela for dada pela própria pessoa diagnosticada. Provavelmente o primeiro pensamento é o de se manter forte e com atitude positiva. Afinal, qual é a outra alternativa? Fraquejar? Talvez sim, talvez fosse o que aconteceria de fato, mas é difícil para a maioria das pessoas aceitar e demonstrar suas fraquezas. Tudo bem! Isso é normal!

Enfrentar um diagnóstico de câncer e, posteriormente, o tratamento, não é fácil para ninguém. Obviamente, quem sente mais o peso do diagnóstico e do tratamento é o paciente, mas o impacto também é sentido pelas pessoas que compõem o núcleo social (familiares, amigos e colegas de trabalho) ao qual o paciente pertence.

É preciso entender essa dinâmica para definir a melhor forma de lidar com o tratamento oncológico para cada um.

Há uma maneira certa de lidar com o tratamento oncológico?

Não há uma maneira ideal de lidar com o tratamento oncológico. Cada pessoa tem sua forma de enfrentar o problema com base naquilo que considera mais adequado e confortável para o momento.

Visando ajudar as pessoas a lidarem melhor com o tratamento oncológico, separamos algumas orientações que podem ser de grande utilidade. 

Lembre-se que quando falamos em dar dicas ou recomendações sobre como lidar com essa situação, estamos apenas oferecendo sugestões de como um indivíduo pode se portar mediante o tratamento do câncer. Essas sugestões são apenas algo que pode ser feito em benefício de todos, tanto o próprio paciente como seu círculo social. O ideal é que você sempre siga as orientações do seu médico.

Informar-se sobre o câncer

Há muita informação disponível sobre os mais variados tipos de câncer. A partir delas é possível que o paciente e as pessoas próximas a ele (e que tenham interesse em ajudá-lo), entendam um pouco sobre a doença, encontrando algumas respostas para suas principais dúvidas. A pesquisa sobre sobre a doença não substitui uma conversa longa e franca com o médico, mas são um auxílio à compreensão do que está acontecendo.

Controlar a ansiedade

O anseio para que tudo se resolva o quanto antes pode fazer mais mal do que bem ao paciente. Muitos tratamentos para o câncer são de médio e longo prazo, ou seja, requerem paciência, principalmente do paciente. Familiares e amigos podem ajudar ao evitar questionar a todo momento sobre a condição do paciente e o andamento do tratamento.

Antes de se tornar paciente oncológico, o amigo ou familiar era uma pessoa com outros interesses e isso não desaparece em função da doença. Tentem conversar sobre isso de vez em quando, para mudar o foco. E, claro, esteja preparado para dialogar sobre a atual condição do paciente caso ele demonstre interesse em falar a respeito.

Fazer visitas e passeios

Alguns pacientes com câncer tendem a se manter reclusos por uma série de motivos, por exemplo, evitar o compadecimento das pessoas. Na verdade, faz bem manter o contato com as pessoas, até para que elas percebam o quão bem o paciente pode estar, mesmo doente.

Dessa forma, sempre que estiver disposto, é bom sair de casa, visitar um amigo ou convidar um familiar para um passeio que se tem vontade de fazer. O movimento contrário (amigos e familiares ir visitar o familiar) também é um apoio para o paciente. Apenas é necessário se informar antes sobre o melhor dia e horário para ir visitá-lo.

Esforçar-se para compreender a situação

É comum, em algumas fases do tratamento oncológico, que o paciente e as pessoas em volta dele sentam muita raiva ou muita frustração. Nessa hora, é normal querer ficar sozinho ou pedir para que alguém simplesmente o escute, sem emitir opinião, apenas desabafar o que está sentindo.

Nesse sentido, ter a ajuda de um profissional como um psicólogo, pode ser uma ótima forma de lidar com o tratamento oncológico.

Acompanhamento psicológico no tratamento oncológico 

Um psicólogo às vezes pode ser o apoio que todos necessitam para enfrentar a situação da melhor forma.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o psicólogo pode ajudar o paciente a manter o seu bem-estar psicológico durante o tratamento. Esse acompanhamento é ideal principalmente para quem tem câncer de mama, uma vez que além doas preocupações da própria doença, existe as outras angústias ligadas à feminilidade, maternidade e sexualidade, principalmente em casos de mastectomia.

Por isso, é extremamente importante o acompanhamento psicológico durante o tratamento do câncer, afinal, as consultas irão colaborar para o bem-estar emocional do paciente. Além disso, o cuidado psicológico também deve se estender aos familiares do paciente, uma vez que o profissional pode auxiliar a família em sua reestruturação emocional nesse momento de fragilidade. 

Criar estratégias de como lidar com a situação e com o paciente, é algo que o profissional pode fazer, afim de proporcionar uma melhor contribuição da família para o tratamento. É importante frisar que o câncer é uma doença complexa e que a família geralmente está bem ligada à todo o processo de tratamento, principalmente de forma emotiva.

equipe de saúde também precisa estar atenta à família do paciente ao longo de todo o processo em que o familiar oncológico está em tratamento. Lembre-se que a experiência do câncer é algo bastante desafiador, fazendo com que todas as mudanças na vida e na rotina do paciente oncológico e sua família sejam um pouco instável, podendo desencadear muitas reações emocionais. 

Por esse motivo que oferecer ao paciente com câncer um acompanhamento psicológico, não só para ele como também para seu núcleo pessoal, é fundamental para o lidar com o tratamento oncológico. 

Quer saber mais sobre como lidar com pacientes oncológicos ou entender sobre a doença, seus tipos e principais riscos? Baixe o nosso E-book “Guia do Paciente com Câncer”, onde damos informações mais detalhadas sobre o câncer e o que esperar de todo o processo. 

Aproveita e segue a gente no Facebook Instagram para não perder nenhuma das nossas publicações. O nosso blog também está aberto para tirar suas dúvidas sobre o câncer e seus tratamentos! 

Conteúdos Relacionados