Blog

Entenda o que é a estomaterapia

Material escrito por:
esaude@clinicasoma
Entenda o que é a estomaterapia

A estomaterapia é uma especialidade da área de Enfermagem, destinada ao cuidado de pacientes com estomias, assim como feridas agudas e crônicas, fístulas e inserção de cateteres e drenos.

Ouça este conteúdo:

 

Da mesma forma, pacientes que apresentam quadro de incontinência anal e urinária também são submetidos aos cuidados da estomaterapia.

Tanto no intuito de prevenção, quanto no aspecto terapêutico ou de reabilitação, a estomaterapia atua na melhoria da qualidade de vida do paciente. Por isso, essa é uma via que auxilia o paciente oncológico durante o tratamento do câncer, quando se torna necessária.

A enfermeira estomaterapeuta da Clínica Soma, Maristela Santos, nos explicou diversos aspectos acerca do assunto. Entenda de que forma a estomaterapia atua na vida do paciente com câncer e quem é o profissional destinado a executar esse serviço:

Estomaterapia: qual sua principal finalidade?

De forma geral, podemos dizer que a Estomaterapia é uma especialidade da Enfermagem, responsável pelo cuidado da pele .

Isso é feito por meio da realização de cuidados preventivos e avançados em pessoas que apresentam feridas, sejam elas agudas ou crônicas, bem como pelo cuidado com estomias
Assim, é possível reabilitar os pacientes que possuem estomias, fístulas e incontinência urinária ou incontinência anal por meio dos cuidados com cateteres, drenos e tubos.

Ou seja, podemos dizer que o estomaterapeuta é um profissional capaz de desenvolver o raciocínio clínico na prevenção de complicações na pele.

Da mesma forma, oferece auxílio na escolha da melhor terapêutica aos pacientes que precisam tratar de todas essas adversidades, quando já não podem ser evitadas.

Quais são os principais casos em que a estomaterapia pode atuar como um diferencial para o paciente?

Primeiramente, o estomaterapeuta avalia a pele do paciente no intuito de prevenção, orientando os devidos cuidados para evitar as possíveis complicações, como o surgimento de feridas, por exemplo.

Quando o paciente apresenta a possibilidade de ser estomizado, o estomaterapeuta realiza o preparo da pele do paciente , demarcando o melhor local para a construção de um estoma, facilitando assim, a reabilitação e retorno às atividades cotidianas dos pacientes.

Além disso, podemos dizer que o estomaterapeuta busca amenizar os impactos desse momento para o paciente, considerando que, o diagnóstico de câncer, a construção de uma estomia e o tratamento de uma ferida ou fístula representam desafios para eles. A atuação do estomaterapeuta, torna o processo mais humanizado, a partir do fato de o apresentar e torná-lo mais conhecido para o paciente e sua família.

Isso pois a Estomaterapia apresenta os equipamentos ao paciente, informando-o sobre os tipos e tamanhos das bolsas coletoras, assim como as barreiras de proteção e cintos que poderão ser utilizados. avaliação de todo o processo é feita com o paciente, buscando encontrar a melhor forma de atender a sua demanda.

Vale lembrar que o estomaterapeuta trabalha sempre com uma equipe multidisciplinar, sempre em parceria com outros profissionais, como médicos, nutricionistas, psicólogos e fisioterapeutas entre outros.

Quais são as vantagens que o trabalho de um estomaterapeuta apontam, quando comparado a um enfermeiro sem essa especialização?

O enfermeiro estomaterapeuta desenvolve na sua formação competências específicas e altamente especializadas para o cuidado de pessoas com feridas (agudas e crônicas), estomias, incontinências e fístulas, cateteres, drenos e tubos, desenvolvendo conhecimento, treinamento e habilidade para trabalhar nessa área.

Ou seja, consiste em uma área especializada nessas abordagens. Portanto, apresenta conhecimento aprofundado sobre o tema. O estomaterapeuta assume o compromisso de atualização contínua dos seus conhecimentos para a recuperação e manutenção da qualidade de vida do paciente, humanizando o cuidado.

Como um paciente oncológico se beneficia pelo trabalho de um estomaterapeuta?

O paciente oncológico apresenta um enfrentamento intenso relacionado ao diagnóstico do câncer e a tudo o que esse momento significa e pode vir a se tornar em sua trajetória de vida.

Além disso, no transcorrer dos tratamentos oncológicos, sejam eles cirúrgicos, quimioterápicos, radioterápicos ou de qualquer outra abordagem, muitas vezes, os pacientes desenvolvem complicações ou efeitos adversos a essas intervenções, ou mesmo apresentam dificuldades decorrentes da própria natureza da doença.

Em consequência disso, essas adversidades podem impedir ou retardar a continuidade do tratamento oncológico. Por exemplo, em alguns casos, essas situações podem interferir, inclusive, no ânimo do paciente e na sua aderência ao tratamento do câncer.

Entretanto, graças o auxílio da estomaterapia, há possibilidade de prevenir essas situações decorrentes do câncer ou mesmo cuidá-las, quando se tornam inevitáveis.

Por isso, dizemos que a estomaterapia também é parte humanística, digna e global do tratamento oncológico e, assim, apresentando-se como um importante adjuvante para evoluções dentro do quadro dos cuidados para o paciente com câncer.

Esse artigo foi útil para você? Assine agora mesmo a newsletter para receber atualizações de conteúdos confiáveis sobre o câncer

Conteúdos Relacionados