Blog

Principais fatores de risco para doenças autoimunes

Material escrito por:
Clínica Soma
Principais fatores de risco para doenças autoimunes

As doenças autoimunes correspondem a um conjunto de diversas enfermidades que afetam o sistema imunológico. Em resumo, as células de defesa do corpo não reconhecem o que é “original de fábrica” e acabam atacando outros órgãos e tecidos do próprio organismo.

Como exemplo, podemos citar a doença de Hashimoto, em que o corpo produz anticorpos contra a nossa própria glândula tireoide, causando a sua destruição e levando o paciente a desenvolver quadros de hipotireoidismo.

Apesar de não sabermos ao certo o que causa essa condição no sistema imunológico, há alguns fatores de risco para doenças autoimunes, que contribuem para o desenvolvimento dos problemas.

Por isso, é importante adotar medidas preventivas, caso você esteja em algum grupo de risco. Afinal de contas, é aquele velho ditado: “antes prevenir do que remediar”.

7 fatores de risco associados às doenças autoimunes

Em geral, quando uma pessoa desenvolve uma doença autoimune, há grandes possibilidades que outras doenças surjam. No entanto, alguns pacientes apresentam uma predisposição genética para o desenvolvimento dessas condições, bastando alguns gatilhos para que o quadro se manifeste.

Entre os fatores de risco para doenças autoimunes, destacam-se:

  1. Vírus
  2. Bactérias
  3. Hormônios
  4. Toxinas
  5. Medicamentos
  6. Ansiedade
  7. Estresse

A hereditariedade também é um fator que conta bastante no desenvolvimento das doenças autoimunes. De acordo com o Núcleo de Estudos de Doenças Autoimunes (NEDAI), cerca de 20% da população tem alguma condição hereditária que aumenta as chances de desenvolvimento da doença.

O NEDAI também ressalta a questão do gênero. Segundo o núcleo, as doenças autoimunes atingem três vezes mais mulheres em comparação aos homens. Inclusive, essa condição está entre as dez principais causas de morte em pacientes com menos de 65 anos.

A idade não é um fator de risco de grande relevância, mas pode sim, ter relação com o progresso rápido de algumas doenças autoimunes. Por isso, é necessário manter o acompanhamento médico, especialmente com o avanço dos anos.

Hoje em dia, acredita-se que os antígenos (bactérias e vírus) também afetam significativamente o sistema imunológico, uma vez que eles escolhem como alvo para a produção de novos anticorpos uma proteína semelhante à que já existe no corpo.

Importante ressaltar que algumas doenças autoimunes podem ser desenvolvidas por conta de maus hábitos, que prejudicam a qualidade de vida. Sendo assim, os fatores de risco também incluem o abuso de álcool, drogas, cigarro, sedentarismo e alto consumo de alimentos industrializados.

Como é o tratamento das doenças autoimunes?

As doenças autoimunes não têm cura, mas elas podem ser tratadas por meio de inúmeras terapias, que diminuem os sintomas, crises e as dores agudas ou crônicas causadas pela condição.

Hoje em dia, o avanço da medicina proporcionou muitas vantagens no tratamento das doenças autoimunes, principalmente com a administração de imunossupressores, em alternativa aos corticoides.

Contudo, a prevenção continua sendo a melhor forma de tratar as doenças autoimunes. Afinal de contas, é uma forma de evitar que os fatores de risco possam se agravar, aumentando a probabilidade do desenvolvimento das enfermidades.

Sendo assim, recomenda-se manter um estilo de vida saudável, com dietas equilibradas, prática de exercícios físicos e acompanhamento médico periódico. Quanto mais cedo é o diagnóstico, melhores são os efeitos do tratamento para doenças autoimunes.

Como diagnosticar as doenças autoimunes?

Os fatores de risco para doenças autoimunes podem ser controlados com a adoção de novos hábitos, mas também com tratamentos controlados por medicação e terapias.

O avanço dos tratamentos das doenças autoimunes é constatado pela orientação dos medicamentos imunobiológicos, que são capazes de melhorar consideravelmente a qualidade de vida dos pacientes, reduzindo os sintomas e a dor crônica.

Além disso, os tratamentos são modernos, rápidos e eficazes, através da administração de medicamentos que fazem o papel dos anticorpos, alterando a resposta inflamatória que causa as dores e o desordenamento do sistema imunológico.

Para orientar o melhor tratamento, o médico especializado irá avaliar os fatores de risco para doenças autoimunes, o estilo de vida do paciente, a progressão da doença, entre outras condições associadas.

O diagnóstico parte da avaliação clínica e realização de vários exames. Por esse motivo, é importante realizar o acompanhamento médico periódico, em uma clínica de qualidade e com profissionais especializados.

Você pode conhecer mais sobre os fatores de risco de cada uma das doenças autoimunes com os nossos conteúdos!

Siga-nos nas redes sociais, Facebook e Instagram, e fique por dentro das novidades da Clínica SOMA.

Conteúdos Relacionados