Blog

Tratamento para esclerose múltipla: veja qual é o ideal para você

Material escrito por:
Clínica Soma
Tratamento para esclerose múltipla: veja qual é o ideal para você

A esclerose múltipla (EM) é uma doença autoimune, em que as células de defesa do sistema nervoso central atacam a bainha de mielina, película que recobre os neurônios, causando lesões profundas no cérebro e na medula.

Uma das características mais comuns da EM é a imprevisibilidade de surtos. Com a evolução do quadro, os sintomas ficam mais fortes, causando entorpecimento dos membros e dificuldade sensitiva.

O tratamento da esclerose múltipla tem dois objetivos: reduzir os sintomas na fase aguda e aumentar o intervalo entre os surtos. Infelizmente, a EM não tem cura, mas pode ser controlada com a administração de medicamentos, como imunossupressores.

Por esse motivo, é importante conhecer os diferentes tipos de tratamento para esclerose múltipla e escolher qual é o ideal para você. Conheça alguns deles no artigo de hoje!

Quais são os principais tratamentos para esclerose múltipla?

Hoje em dia, há muitas opções de tratamento para esclerose múltipla. Normalmente, durante as crises e sintomas agudos, o controle é feito com o uso de corticoides na veia, que reduzem a inflamação naquele momento.

Atualmente, o medicamento mais usado é a metilprednisolona. Nos casos mais graves, a recomendação é o uso da plasmaférese, um procedimento que faz a limpeza do sangue e retira as células autoimunes que destroem a mielina.

Há outros medicamentos que podem ser usados no tratamento para esclerose múltipla. São eles:

  • Beta interferons: são injetáveis e fazem parte das primeiras terapias realizadas para o controle da esclerose múltipla.
  • Acetato de Glatiramer: também injetável, usado em doses diárias para controle dos surtos e dos sintomas.
  • Fingolimod: disponível no formato de comprimidos, é tomado em dose única diária. Foi o primeiro medicamento oral usado no tratamento para esclerose múltipla. Contudo, ele causa alguns efeitos colaterais, como bradicardia (queda dos batimentos do coração).
  • Natalizumab: é injetável, sendo prescrito em casos em que o paciente não responde aos tratamentos acima. Em geral, é recomendável para os casos mais graves da doença.
  • Mitoxantrone: é uma droga imunossupressora, também indicada para os casos mais graves da esclerose múltipla.
  • Teriflunomide: é um medicamento que ainda não está disponível no Brasil para o tratamento para esclerose múltipla, devido aos efeitos colaterais no fígado.
  • Ocrelizumabe: é aplicado através de uma infusão intravenosa a cada seis meses.

O tipo de tratamento dependerá das condições de cada paciente. Por esse motivo, é importante realizar um acompanhamento médico e exames de rotina, para avaliar e direcionar as terapias adequadas para os indivíduos.

O tratamento com imunobiológicos tem apresentado bons resultados nos últimos anos. É uma alternativa viável, que substitui o uso de corticoides e tem menores efeitos colaterais.

Os tratamentos preventivos para a esclerose múltipla

Como a esclerose múltipla não tem cura, os tratamentos são orientados para diminuir os sintomas e controlar os surtos da doença. Contudo, além da administração de medicamentos, é importante manter alguns hábitos saudáveis para prevenir as crises.

A seguir, conheça algumas opções preventivas de tratamento para esclerose múltipla.

Realize exercícios físicos

Sabemos que um dos principais sintomas da esclerose múltipla é a rigidez muscular, o que pode causar a incapacidade de realizar exercícios físicos. No entanto, é importante movimentar o corpo, dentro dos seus limites.

A prática de atividades físicas estimula os músculos, além de contribuir com o bem-estar, reduzindo os níveis de estresse e ansiedade.

Tenha uma dieta rica em fibras

A esclerose múltipla pode causar constipação dos movimentos intestinais e prejudicar o funcionamento correto do aparelho digestivo. Além disso, esse também é um efeito colateral do tratamento para esclerose múltipla.

Por esse motivo, vale a pena adotar uma dieta rica em fibras e ingerir bastante água ao longo do dia. Isso facilita os movimentos intestinais, contribuindo com a digestão.

Fique em locais mais amenos

Os sintomas da esclerose múltipla tendem a aumentar no calor. Sendo assim, é necessário se manter em ambientes com climas mais amenos, para evitar crises agudas e fortes dores.

Além disso, tente se refrescar, sempre que possível.

Onde começar o tratamento para esclerose múltipla?

Se você quer iniciar o seu tratamento para esclerose múltipla e controlar os sintomas, vale a pena entrar em contato com a Clínica SOMA.

Aqui, contamos com uma equipe especializada e multidisciplinar para tratar doenças autoimunes, oferecendo os melhores medicamentos e acompanhamento médico para cada um de nossos pacientes.

Mande uma mensagem para a gente e saiba mais sobre os nossos serviços!

Conteúdos Relacionados