Blog

Os riscos da automedicação para as doenças autoimunes

Material escrito por:
Clínica Soma
Os riscos da automedicação para as doenças autoimunes

automedicação é um habito muito comum em muitas pessoas, principalmente nos brasileiros. Uma pesquisa que foi realizada pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF), através do Instituto Datafolha, constatou que 77% dos brasileiros fazem usos de medicamentos sem prescrição médica. 

O ato de se automedicar é extremamente perigoso, pois pode trazer consequências indesejadas, afinal, uma dose errada de qualquer medicamento pode ter consequências para o corpo. Se isso é um cuidado importante para toda e qualquer pessoa, a automedicação é ainda mais grave no caso de pessoas com doenças autoimunes.

Antes de explicar porque se automedicar é um risco para doenças autoimunes, vamos entender o que é e o porque é preciso tomar muito cuidado com os medicamentos sem prescrição médica.

O que é a automedicação?

automedicação é o ato de administrar um remédio sem uma prescrição médica, ou seja, uma pessoa que não é apta seleciona um medicamento e toma por conta própria, com o objetivo de melhorar alguma dor ou aliviar seus sintomas. Esse ato é, como dito antes, uma prática comum, mas que pode ter como consequência camuflar algum sintoma de doença mais séria, fazendo com que ela se torne cada vez mais grave e dificulte o tratamento.

As pessoas precisam ter em mente que qualquer remédio utilizado de forma indevida pode trazer efeitos negativos para a saúde como, por exemplo:

  • hipersensibilidade;
  • reações alérgicas;
  • resistência bacteriana;
  • estimulo da produção de anticorpos sem necessidade;
  • dependência do medicamento;
  • hemorragias digestivas;
  • entre outros.

A intoxicação por meio de medicamentos é causa de muitos óbitos no Brasil, e geralmente essa intoxicação acontece após uma automedicação. Remédios como o ácido acetil salicílico e a dipirona são exemplos dos mais utilizados pela população e mesmo sendo os medicamentos mais conhecidos e usados, eles precisam ser tomados com moderação.

Um dos motivos que leva a população à se automedicar é a falta de informação sobre os riscos que esse ato pode trazer para a saúde. As pessoas tendem a buscar informações com conhecidos ao invés de buscar ajuda médica especializada para tratar seus problemas. Investigar as causas de determinada dor é importante, dessa forma o paciente terá um diagnóstico correto e então um tratamento ideal, sem precisar se arriscar.

Automedicação e doenças autoimunes

As doenças autoimunes são um conjunto de enfermidades que afetam o sistema imunológico, ou seja, as células, que defendem o corpo, ficam tão perdidas que acabam criando anticorpos para atacar o próprio organismo, já que não conseguem o reconhecer. A verdade é que o organismo de uma pessoa com essas doenças, confundem proteínas com agentes invasores e isso gera todo o ataque ao próprio corpo.

Doenças autoimunes tem níveis de gravidade, consequentemente, níveis de tratamentos diferentes, com medicações próprias e acompanhamento médico necessário. E é aqui que entra a ligação com a automedicação.

É função do médico identificar sintomas para poder diagnosticar a doença e só então escolher os melhores tratamentos e remédios, todos com a dosagem ideal para que o paciente não tenha mais problemas. Quando uma pessoa se automedica, ela ignora esses cuidados que são tão essenciais para o bem-estar, e no caso de pacientes com doenças autoimunes essa situação é bem mais complicada.

É de extrema importância que os tratamentos sejam feitos por clínicas especializadas para essa função. Esses medicamentos precisam ser aplicados com muito cuidado, além da maior segurança possível, afinal, são tratamentos específicos e bem mais fortes dos que os encontrados em farmácias.

O risco da automedicação para doenças autoimunes é ainda maior, já que o uso incorreto e sem supervisão desses medicamentos podem ocasionar o contrário do desejado, ou seja, o quadro do paciente pode agravar. O sistema imunológico não é brincadeira e deve ser levado a sério na hora de um possível tratamento.

Apostar em um estilo de vida mais saudável, contando com uma dieta apropriada e balanceada, além de praticar exercícios físicos e fazer um acompanhamento médico periódico, são os principais passos para que seu tratamento funcione. Tenha em mente que fazer o tratamento para as doenças autoimunes é muito eficaz e, quase sempre, o paciente responde bem ao processo. Se automedicar não é a resposta, e muitas das vezes uma boa intenção pode ser mais prejudicial do que parece.

Quer ficar por dentro de mais curiosidades sobre doenças autoimunesNosso blog tem os mais diferentes artigos, que explicam sobre as doenças e seus tratamentos, sempre visando garantir um aumento significativo na qualidade de vida dos pacientes.

A Clínica Soma busca oferecer tratamentos e informações de qualidade para os pacientes. Para estar por dentro de tudo que compartilhamos curta nossa página do Facebook e siga nosso perfil no Instagram.  Tem alguma outra dúvida? Entre em contato com a equipe da Clínica Soma pelo telefone (48) 3223-6072.

Conteúdos Relacionados