Blog

Vacinação e as doenças autoimunes

user
Material escrito por:
esaude@clinicasoma
Vacinação e as doenças autoimunes

vacinação é uma das melhores formas de prevenção contra doenças infecciosas, sendo algo de extrema importância para os pacientes que possuem doenças autoimunes, uma vez que essas pessoas já têm o sistema imunológico comprometido e precisam investir ainda mais em métodos preventivos.

De modo resumido, a vacinação nada mais é que a injeção ou inalação de um produto não-tóxico, que estimula o indivíduo a produzir anticorpos e, dessa maneira, previne o desenvolvimento de doenças contra o patógeno o qual o paciente foi vacinado.

Mas, a vacina vai muito além da prevenção individual. Quando você se vacina, está ajudando toda a comunidade na redução dos casos de uma determinada doença e, dessa forma, pode contribuir até com a erradicação de certas enfermidades.

No artigo de hoje, saiba mais sobre a relação da vacinação e as doenças autoimunes, bem como a importância da prevenção para os pacientes.

Qual a relação da vacinação com as doenças reumáticas e autoimunes?

Os pacientes com doenças reumatológicas autoimunes têm uma propensão maior ao desenvolvimento de infecções, justamente porque o seu sistema imunológico é suprimido, isto é, tem força reduzida. Ainda que em tratamento, as medicações imunossupressoras também comprometem a defesa do organismo.

Por esse motivo, a vacinação e as doenças autoimunes têm uma forte relação, sendo recomendado que os pacientes mantenham suas vacinas em dia.

No entanto, visto que o sistema imunológico está suprimido, mesmo os microrganismos enfraquecidos das vacinas podem causar complicações. Daí a importância de consultar o seu médico, além de considerar se a vacina é feita com microrganismos vivos ou mortos.

As vacinas com microrganismos vivos devem ser evitadas por pacientes com tratamentos imunossupressores. Somente após avaliação e autorização médica, que a vacinação pode ser realizada. É o caso, por exemplo, da vacina contra febre amarela, sarampo, rubéola, caxumba, poliomielite oral e tuberculose.

Já as vacinas com microrganismos mortos não apresentam riscos para os pacientes com doenças autoimunes. Inclusive, são recomendadas para reumáticos, mesmo que estejam em tratamento com imunossupressores.

Como exemplo de vacinas com microrganismos mortos, temos a da gripe (Influenza), pneumonia, tétano, coqueluche, meningite e hepatite.

É importante que os pacientes com doenças autoimunes mantenham a sua carteira de vacinação em dia, para que os médicos possam acompanhar corretamente as medidas preventivas contra vários tipos de doença e orientar melhor quais vacinas são recomendadas ou não.

Qual o melhor momento para me vacinar?

Recomenda-se que a vacinação nos pacientes autoimunes seja feita de duas a quatro semanas antes de iniciar o tratamento com imunossupressores. Se não for possível esperar, as vacinas inativadas (microrganismos mortos) podem ser administradas posteriormente, porém o efeito será menor.

Caso você esteja realizando um tratamento com imunossupressor e precisa receber uma vacina com microrganismos vivos, a terapia deve ser descontinuada imediatamente. O tempo de pausa pode variar de 25 dias a 6 meses, dependendo da resposta imunológica do paciente.

Quem tem doença autoimune pode tomar vacina contra Covid-19?

A relação entre vacinação e as doenças autoimunes ganhou destaque por conta da pandemia do novo coronavírus. Afinal de contas, os pacientes com reumatologias ou problemas no sistema imunológico são categorizados como grupo de risco e, portanto, devem receber a vacina contra a Covid-19.

No entanto, diante da recém descoberta da vacina do novo coronavírus, a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) emitiu um guia com as recomendações e orientações para a vacinação dos pacientes com doenças autoimunes. De acordo com o documento, a decisão deve partir de um comum acordo entre paciente e médico.

Ou seja, para decidir sobre a vacinação e as doenças autoimunes, é necessário considerar a faixa etária, as condições da doença autoimune de base, os graus de atividade e imunossupressão, além das comorbidades.

No caso de outros tipos de vacinas, como a da Influenza (a “vacina da gripe”), a SBR recomenda que pacientes com doenças reumáticas e autoimunes tomem a medicação, ainda mais porque os indivíduos autoimunes têm mais propensão ao desenvolvimento de formas graves da doença.

De qualquer forma, caso você seja um paciente com doença autoimune, antes de receber a vacina contra a Covid-19, fale com o seu médico.

Quer acompanhar as notícias sobre a vacinação e doenças autoimunes, especialmente nesta época de pandemia da Covid-19? Então, siga-nos no Facebook e Instagram para ficar por dentro das novidades!

Conteúdos Relacionados