Tratamento com imunobiológicos

Por: - CRM/SC 3413 - RQE 7715
Publicado em 12/04/2019 - Atualizado 25/04/2019

Tratamento com imunobiológicos

O tratamento com imunobiológicos é uma novidade para tratar as doenças autoimunes. Que tal conhecer um pouco mais sobre o seu funcionamento?

As pessoas diagnosticadas com doenças autoimunes precisam conviver com um sistema imunológico desorientado, que passa a atacar o próprio organismo quando, na verdade, deveria protegê-lo.

Mas, felizmente, graças aos avanços da medicina, existem novas maneiras de tratar essas doenças, de forma cada vez mais eficaz e melhor direcionada. É o caso dos medicamentos imunológicos, que atuam como anticorpos dentro organismo, revitalizando a função do sistema imune.

Dessa forma, ao mesmo tempo em que há eficácia nos resultados, essa abordagem terapêutica proporciona maior qualidade de vida aos pacientes. Como a administração dos medicamentos é por via endovenosa ou subcutânea, só pode ser realizada em clínicas ou centros de infusão especializados.

Assim, surgiu a Soma Imuno e sua proposta para tratar as doenças autoimunes, de maneira segura e de forma mais humanizada.

Por isso, se você ficou interessado e deseja saber mais sobre o assunto, continue lendo este artigo!

Tratamento com imunobiológicos: como funciona?

Como dito, o tratamento com imunobiológicos consiste em cuidar no sistema imunológico, para tratar as doenças autoimunes da melhor forma possível. Assim, o paciente recebe a aplicação de medicamentos especiais, criados através de proteínas recombinantes.

Esses medicamentos são criados por engenharia genética e podem ser classificados como anticorpos monoclonais; proteínas de fusão ou citocinas humanas recombinantes. A aplicação pode ser intravenosa ou subcutânea.

É importante orientar que os imunobiológicos não melhoram a imunidade do paciente. A intenção dessa medicação é modular a imunidade do organismo, para que o corpo não use suas próprias defesas para atingir as células e tecidos saudáveis, característica básica das doenças autoimunes.

Quais doenças são tratadas com imunobiológicos pela Clínica Soma?

Dentre as doenças autoimunes tratadas pela Soma Imuno, destacamos:

 

  • artrite psoriásica;
  • espondilite anquilosante;
  • doença de crohn;
  • retocolite ulcerativa;
  • psoríase;
  • esclerose múltipla;

 

Além dessas doenças, podemos considerar a urticária e a asma incluídas no tratamento com imunobiológicos realizado pela Soma Imuno.

Qual é o princípio de atuação dos medicamentos imunobiológicos?

Os imunobiológicos são, estruturalmente, considerados como anticorpos ou receptores, sendo direcionados a um alvo específico.

Assim sendo, são considerados verdadeiros “bisturis farmacológicos”, capazes de promover interações pontuais no sistema imune. Seus mecanismos de ação principais são:

  • bloqueio de substâncias inflamatórias e solúveis no sangue, chamadas de citocinas;
  • ação direcionada contra tipos específicos de células do sistema imune, causando morte celular, redução da ativação e diferenciação ou limitação da migração até tecidos;
  • interação com etapas da resposta imunológica, podendo tanto reduzi-las, quanto estimulá-las.

O que esperar do tempo de atuação do efeito desse tratamento?

Geralmente, nas primeiras sessões, o paciente já costuma sentir os efeitos benéficos das aplicações. Por isso, considera-se um bom prognóstico de tratamento, quando isso acontece.

Porém, de forma geral, uma resposta mais intensa ao tratamento, com melhoras significativas, pode ser verificada após seis meses de uso. De qualquer maneira, cabe ao especialista considerar cada situação de forma individualizada.

Além disso, o tempo ideal para passar pelo tratamento irá depender do tipo de biológico recomendado pelo médico. Pode ser uma vez por semana, a cada 15 dias, a cada mês, a cada oito semanas ou a cada seis meses.

O paciente necessita ficar internado para receber o tratamento com imunobiológicos?

Não há necessidade de internação para se tratar com os medicamentos imunobiológicos. Ou seja, o tratamento é feito em nível ambulatorial, em clínicas especializadas e com uma estrutura adequada.

Além disso, o tratamento é orientado por médicos e enfermeiros devidamente capacitados para atuar nessa especificidade, administrando a aplicação da medicação, que pode levar de minutos a algumas horas, mas sem a necessidade de internação.

Existem recomendações para o paciente, ao passar pelo tratamento?

O paciente que irá passar pela imunoterapia deve levar uma vida normal, lembrando-se de ingerir bastante água e manter uma alimentação saudável.

Caso esteja fazendo o uso de medicamentos, estes devem ser consumidos normalmente, a não ser que haja uma contraindicação médica. Além disso, é importante evitar o consumo de álcool e tabaco.

Existem contraindicações para o uso de medicamentos imunobiológicos?

De forma geral, estão contraindicados para receber a medicação de imunobiológicos os pacientes que possuam os seguintes quadros:

  • infecção ativa de qualquer natureza;
  • insuficiência cardíaca congestiva (classe III e IV) pelos critérios da American Heart Association;
  • determinadas doenças desmielinizantes;
  • linfomas ou outras neoplasias;
  • hepatite B ativa;
  • neurite óptica;
  • alergia conhecida às drogas biológicas.

De qualquer forma, consulte o seu médico, para verificar o seu caso de maneira individualizada.

Os medicamentos imunobiológicos ajudam na dor do paciente?

É importante orientar que os agentes biológicos são empregados no tratamento da doença já ativa, de grau moderado à grave.

Dessa forma, estes agem como imunossupressores e por isso, são capazes de reduzir a inflamação, melhorando o quadro de dor e proporcionando maior qualidade de vida aos pacientes.

O tratamento com imunobiológicos pode ser combinado com outros tipos de tratamento?

Dependendo da conduta do médico que acompanha o paciente, é possível unir ao tratamento com imunobiológicos a utilização de adjuvantes, como os anti-inflamatórios e os MMCD sintéticos (Medicamentos Modificadores do Curso da Doença), dentre outros.

Como saber se o tratamento com imunobiológicos está sendo feito de maneira segura?

É fundamental que o paciente observe a estrutura física do local, como a verificação de poltronas, bomba de infusão, carrinho de parada e desfibrilador. Além disso, é importante constatar a capacidade técnica do corpo de enfermagem e equipe multidisciplinar, questionando-os se estão habilitados a agir em caso de algum evento adverso.

Lembre-se que é um direito seu verificar a segurança do espaço, do material e da equipe, não hesite em fazer abordagens desse tipo.

Entre em contato com a nossa equipe e tire todas as suas dúvidas sobre o tratamento com imunobiológicos.


Material escrito por:
- CRM/SC 3413 - RQE 7715
Publicado em 12/04/2019 - Atualizado 25/04/2019

Responsável Técnica Curso de Medicina na Universidade Federal de Santa Catarina (1981) Especialização em Oncologia Clínica (1985)

Agendamento Online