Blog

Como diagnosticar o câncer de pulmão?

Material escrito por:
Clínica Soma
Como diagnosticar o câncer de pulmão?

câncer de pulmão é o segundo tipo de câncer mais comum entre homens e mulheres, de acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer). Saber como diagnosticar o câncer de pulmão é muito importante, uma vez que os sinais e sintomas só aparecem no estágio mais avançado da doença.

O pulmão é um dos órgãos mais importantes do corpo humano, uma vez que é ele o responsável por absorver o oxigênio e expulsar o dióxido de carbono, processo essencial para que o nosso corpo funcione corretamente.

A partir daí, é muito importante destacar que o cigarro é o fator de risco mais importante entre as causas do câncer de pulmão. Por isso, esse é um dos tipos de câncer que podem ser evitados por meio do estilo de vida.

Segundo o Ministério da Saúde, o risco de desenvolver a doença é muito maior para os pacientes fumantes, se comparado aos que nunca fumaram. Contudo, é fundamental lembrar que o cigarro não é o único fator de risco do câncer de pulmão. Outros são:

  • exposição à poluição do ar;

  • ter infecções pulmonares repetidamente;

  • doenças pulmonares obstrutivas crônicas, como a bronquite crônica;

  • fatores genéticos;

  • história familiar de câncer de pulmão.

A idade avançada também pode ser um fator de risco. A doença afeta pessoas entre 50 e 70 anos, na maioria dos casos. O INCA também alerta sobre o risco associado a trabalhos que envolvem a exposição a algum tipo de agente químico ou físico.

Os riscos do câncer de pulmão relacionado ao trabalho costumam ser maiores em pessoas que trabalham com construção civil, condutores e manobristas de veículos a diesel, bombeiros e alguns outros.

Como é o diagnóstico do câncer de pulmão?

Diagnosticar o câncer de pulmão pode ser um pouco complicado, já que muitos pacientes demoram a procurar um atendimento médico para tratar o problema.

Acontece que, como dito antes, os sintomas não costumam aparecer na fase inicial da doença. Geralmente, a pessoa só apresenta algum sinal quando o câncer já está bem avançado. No entanto, o INCA afirma que em alguns casos o câncer de pulmão pode apresentar alguns sintomas na fase inicial, como:

  • tosse persistente;

  • escarro com sangue;

  • dores no peito;

  • rouquidão;

  • falta de ar;

  • perda de peso e apetite sem causa aparente;

  • pneumonia ou bronquite de forma recorrente;

  • fraqueza e fadiga.

Na presença de qualquer um desses sinais, o ideal é que procure um médico. Caso o diagnóstico seja de câncer de pulmão, a detecção precoce da doença pode ser tratada imediatamente.

De acordo com o INCA, o diagnóstico de câncer de pulmão é feito, em sua maioria, pela radiografia de tórax. Esse é um exame fácil que pode identificar a doença em pacientes assintomáticos, ou naqueles que apresentem sintomas sugestivos.

Outra forma de diagnosticar a doença é por meio da broncoscopia. Esse exame possibilita que o médico observe as vias aéreas através de um instrumento chamado broncoscópio, permitindo a realização de uma biópsia.

Uma vez confirmado o diagnóstico de câncer de pulmão, o médico irá fazer o estadiamento. Isto é, verificar se doença está restrita apenas ao pulmão ou se houve metástase (quando o tumor vai para outras partes do corpo). A partir dessa conclusão, o médico e paciente irão debater qual a melhor forma de tratamento.

Tratamento do câncer de pulmão

Existem, basicamente, três formas de tratar o câncer de pulmão. São elas:

Esses métodos podem ser realizados sozinhos ou associados, em alguns casos. Contudo, é importante ter em mente que é só após o diagnóstico do câncer do pulmão e do estadiamento que o médico irá definir o tratamento. Isso porque o tipo de tratamento vai depender da localização e extensão do tumor.

Se o câncer estiver localizado apenas no pulmão e sem a presença de linfonodo no espaço entre os dois pulmões, o INCA indica que o tratamento seja cirúrgico, podendo ou não seguir com a radioterapia e a quimioterapia.

Já nos casos de pacientes cujo tumor está localizado no pulmão, mas também tem a presença desses linfonodos, a melhor forma de tratamento é usar a radioterapia e a quimioterapia ao mesmo tempo.

Contudo, em pacientes metastáticos, o tratamento se dá pela quimioterapia. Ou, dependendo do caso, o INCA sugere medicações baseadas em terapia-alvo, que visam combater as moléculas específicas do câncer.

Além disso, para que o tratamento do câncer de pulmão seja eficaz, é necessário a participação de uma equipe multidisciplinar, muito importante para melhorar as perspectivas de cura dos pacientes.

Quer saber mais sobre assuntos como esse? Então acesse o nosso blog e fique por dentro de todos os nossos conteúdos!

Nosso Facebook Instagram têm conteúdos exclusivos e estão sempre abertos para discussões e dúvidas. Siga-nos e fique por dentro de todas as curiosidades, novidades e tratamentos que a Clínica Soma oferece.

Conteúdos Relacionados