Blog

Tipos de doença autoimune na pele

Material escrito por:
Clínica Soma
Tipos de doença autoimune na pele

Dentre os tipos mais comuns de doenças autoimunes que causam erupções na pele estão a urticária crônica espontânea, o lúpus e a psoríase.

As doenças autoimunes são enfermidades que representam desordens do sistema imunológico. Nesse caso em específico, as doenças autoimunes responsáveis por atacar a pele são o nosso principal foco neste artigo.

pele é o maior órgão do corpo humano. Ela age como uma barreira muito importante que separa o nosso organismo do meio externo em que vivemos. 

Além disso, é graças a ela que podemos experimentar diversas sensações, assim como identificar inúmeras doenças que manifestam sinais e sintomas através de manchas e erupções na pele

Leia o artigo completo e conheça algumas dessas doenças autoimunes na pele. Saiba também como a eficiência dos tratamentos modernos pode ajudar o paciente a conviver com o problema, sem perder a qualidade de vida.

Principais doenças autoimunes na pele

As doenças autoimunes correspondem a um grupo de desordens com um ponto em comum: têm como fator desencadeante o ataque ao sistema imunológico, a partir da produção de anticorpos que agridem o próprio organismo.

Os lugares onde as doenças autoimunes se manifestam são extensas, já que podem acometer diversos órgãos e regiões do corpo humano. Além disso, a gravidade do problema dependerá dos órgãos e sistemas afetados.

Quando o elemento afetado pela desordem autoimune é a pele, temos como principais doenças:

  1. urticária crônica espontânea;

  2. psoríase e;

  3. lúpus.

Todas elas são responsáveis por abrir formas de erupção na pele. Veja o que são cada um desses problemas e qual a melhor forma de tratá-los.

Urticária Crônica Espontânea

urticária é uma doença que ocorre de forma espontânea. Ou seja, ão tem uma causa externa como a de quem possui alergia a poeira, por exemplo.

Ela é uma desordem do próprio corpo, onde surgem placas avermelhadas (urticas) que causam uma coceira forte. Esses sintomas podem durar até 24h no mesmo lugar e depois reaparecem em outras partes do corpo.

[imagem de como é a urticária]

Além da coceira e das urticas, pode surgir também o chamado angioedema. Isto é, um inchaço na pele que afeta, com mais frequência, a região da boca e dos olhos. O angioedema costuma desaparecer em até 72h.

A doença pode causar no paciente:

  1. privações do sono;

  2. dificuldade de concentração;

  3. estresse e;

  4. reclusão.

Essa doença de pele não possui cura. Mas tenha em mente que, com o tratamento adequado, você poderá obter o controle completo dos sintomas da doença e conseguirá ter uma vida normal.

Ou seja, o tratamento permite que o paciente tenha a mesma qualidade de vida de uma pessoa que não sofre com esse problema.

Psoríase

psoríase é uma doença autoimune de caráter cíclico. Ou seja, manifesta sintomas que aparecem e somem periodicamente.

Embora não esteja claro o que causa a psoríase, é conhecida a sua causa autoimune, além das interações ambientais e a susceptibilidade genética. Alguns fatores de risco também contribuem para que a psoríase se manifeste, como:

  1. histórico familiar;

  2. estresse;

  3. baixas temperaturas;

  4. tabagismo e;

  5. obesidade.

Sobre o desenvolvimento da doença, sabe-se que se dá quando os linfócitos T (células de defesa do organismo) liberam substâncias inflamatórias, responsáveis pela formação de vasos.

Dessa forma, as respostas imunológicas surgem, provocando dilatação dos vasos sanguíneos da pele e o aumento dos neutrófilos (células de defesa que passam a se reproduzir rapidamente).

Por conta disso, as escamas e manchas espessas na pele aparecem. Afinal, o ciclo evolutivo da doença não permite que as células mortas sejam eliminadas com eficácia.

Não existe cura para a psoríase. Contudo, existem tratamentos eficazes para o controle dos sintomas. Com o tratamento ideal, é possível controlar os sinais da doença e entregar bem-estar ao paciente. Mas é de extrema importância que a doença seja diagnosticada precocemente.

Lúpus

lúpus pode se manifestar de diferentes formas. Quando o mecanismo de atuação da doença atinge a pele, chamamos de lúpus discoide.

Nesse caso, o paciente apresenta lesões avermelhadas na pele, com diferentes tamanhos e formatos e colorações específicas. Geralmente, os locais mais acometidos são a nuca, couro cabeludo e o rosto.

Embora a doença apresente sintomas específicos do seu local de manifestação, é importante estar atento a alguns sinais gerais como, por exemplo:

  1. febre;

  2. fadiga;

  3. erupções na pele;

  4. inchaço e rigidez muscular;

  5. lesões que pioram com exposição ao sol;

  6. sensibilidade à luz solar;

  7. dor de cabeça e;

  8. confusão mental.

Além disso, quando o lúpus atinge a pele, o paciente pode apresentar coloração irregular da pele, além do fenômeno de Raynaud (um tipo de problema de circulação), que se caracteriza pela mudança de cor dos dedos no frio.

Assim como a psoríase, o lupus não tem cura. Por isso, o diagnóstico precoce é muito importante. Quanto antes a doença for descoberta, mais eficaz será o tratamento para controlar os sintomas e trazer qualidade de vida e bem-estar ao paciente.

Medicamentos imunobiológicos: tratamento para as doenças de pele de caráter autoimune

Para tratar as doenças autoimunes que se manifestam com erupções na pele, a opção mais indicada é o uso de medicamentos imunobiológicos.

Essa é uma via de tratamento que consiste na aplicação de medicamentos especiais, que funcionam a partir de proteínas recombinantes. Os medicamentos imunobiológicos têm como principal função a modulação da imunidade do organismo.

Dessa forma, a opção por esse tipo de tratamento permite que o corpo humano deixe de utilizar seu mecanismo de defesa para atacar a si próprio. Ou seja, o tratamento permite a eliminação de células anormais, assim como impede que elas se desenvolvam, aliviando os sintomas e melhorando o bem-estar dos pacientes. 

A administração desse tipo de tratamento é intravenosa ou subcutânea. O medicamento age diretamente nos sintomas das dores, sendo capaz de reduzir esses sinais e, consequentemente, o incômodo que eles desencadeiam.

É muito importante ter em mente que o uso dos imunobiológicos precisa ser feito somente sob orientação médica. Por isso, é essencial procurar uma clínica especializada e de confiança para estar com você desde o diagnóstico das doenças de pele de caráter autoimune.

Para conhecer mais sobre o tratamento com medicamentos imunobiológicos, entre em contato com a nossa equipe. A Soma oferece os mais avançados recursos disponíveis, além de ter as alternativas para que cada tratamento seja individualizado e com maiores chances de sucesso.

Quer conhecer mais sobre o assunto? Acesse nosso blog e siga-nos no Facebook e Instagram para ficar por dentro de todas as nossas atualizações.

Conteúdos Relacionados